CARTA A MARCELLO JOSÉ MOREIRA

 Por Danilo Sili Borges

Marcello, estou aguardando os originais do livro que você me solicitou que lesse, com curiosidade, confesso.

Primeiro, porque sei do seu talento como escritor e do conhecimento que você tem como estudioso da história da Igreja Católica, depois por você me ter dito que eu era o único agnóstico a quem você entregaria aquela tarefa. Ganhei vaidade pela confiança e preocupação pelo rótulo.

Trabalhos de pesquisa histórica devem estar assentes no pressuposto da isenção, e quando conduzidos por um aficionado, isso pode falhar. Não terá sido esse o caso da sua obra. Nos conhecemos há décadas e desde então discutimos temas polêmicos, desses que dizem não se deva discutir. Vem daí a admiração e o respeito que tenho pela pessoa íntegra que você é, incapaz de transgredir uma única vez a ética natural preexistente em todos nós, e que está acima das que se escrevem nos códigos. Conhecendo o autor, como conheço, atesto preliminarmente a honestidade da obra. Espero poder tê-la nas mãos brevemente.

Fiquei, como se dizia nos bons tempos, “com a pulga atrás da orelha” pela classificação de agnóstico que me foi imputada. Não que eu tenha algo em contrário ao agnosticismo ou aos seus adeptos. Talvez, o mais próximo que eu possa estar disso seja o cartesianismo a que me levou minha formação de engenheiro pela prática profissional de exigências de comprovações e exatidões.

Não sou versado nas filosofias, mas se a covid permitir, pretendo investir um pouco do meu, já escasso, horizonte temporal nesses desafiantes conhecimentos.

Do lado mais soft da realidade em que se vive, tenho dúvidas, enquanto religiosos e agnósticos têm certezas. Os primeiros têm fé nos seus deuses, nos seus profetas, nos seus livros. Os agnósticos, no simples entendimento que tenho, precisam de provas demonstradas para crerem.

É aí que me perco!

Caro amigo, Marcello, dentre as datas que preservo indelevelmente na memória, está a de 8 de dezembro, que, neste ano, foi na passada terça-feira. Em 1951, aos 10 anos recebi, nesse dia, a 1ª Eucaristia. A data, como você sabe é dedicada a Imaculada Conceição. A Comunhão inaugural daquela garotada foi em uma ensolarada manhã de sábado na Igreja de NS da Conceição, na rua de mesmo nome, no centro de Niterói, cidade onde passei o adorável primeiro terço da minha vida.

Vou lhe mostrar foto daquele dia. Em uma, estou empacotado numa veste branca, própria para a ocasião, adquirida, lembro-me bem, numa loja de roupas para meninos, chamada “O Príncipe” e que tinha um slogan inesquecível: “O príncipe veste hoje o homem de amanhã”...e os de depois de amanhã também.

Pois é, meu amigo, minhas questões começaram justamente aí, nessa época.

Aulas de catecismo com professora catequista, uma vez por semana, e apoio de um livrinho com perguntas e respostas prontas, para nos porem em contato com coisas sérias e novas para nós: vida eterna, Deus, criação do mundo, pecado original, paraíso, demônio, pecado, inferno e purgatório, confissões e vai por aí. Para cada pergunta/resposta do livrinho que deveria ser decorada eu queria saber mais. Jamais consegui destravar a catequista e a moça sempre me dizia que a resposta estava no livrinho Sabe-Tudo. Inconveniente, parei de perguntar, mas não de ter dúvidas. Fiquei adulto e as dúvidas também.

Em busca de serenidade e de compreender o mundo, andei por muitas sendas, li muitos livros, ouvi gurus, e por fim descobri que ter fé ou não, é uma questão genética, alguns nascem com essa, feliz, propensão, outros não a terão nunca.

Há um fato básico e inquestionável: o Universo é real.

Sua origem e sua autoria – se existirem – são absolutamente misteriosas. Ao longo dos milênios, a Filosofia vem explicando muitas coisas, mas como se dizia quando os biquínis eram mais comportados: “A Filosofia é como o biquíni, mostra tudo, menos o essencial!”.

Meu prezado Marcello, agnósticos e religiosos têm sempre respostas, eu só tenho dúvidas.

Do seu admirador e amigo,

Danilo.

Crônicas da Madrugada. Danilo Sili Borges. Brasília – Dez.2020

danilosiliborges@gmail.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

EU TE PERDOO, EU ME PERDOO

SIMONE TEBET E A 3ª VIA

EU, CIDADÃO PORTUGUÊS